domingo, 4 de julho de 2010

O QUE TEM NO RALO DO MUNDO?

- Linhas de camiseta, restos de sabonete, amores pela metade, desejos remoídos, e tufos de cabelo? Meus tufos de cabelos negros foram sugados pelo ralo...e eu fui junto.


- No ralo do mundo pode ter tudo isso que você falou, os sentimentos que escorrem não pelos olhos, mas pela alma, pelo desconforto, frutos de um cotidiano que nos esmaga e nos engana a cada tentativa de vencer....tá bom assim?


- Nessa temporada, fui viver num ralo do mundo, absorvendo tudo que é cuspe, catarro e porra que cai de cima. Até o sangue de feridas que nem sei a quem pertencem cai sobre mim. Quer saber se estou na fossa? Sim, estou no ralo da fossa, filtrando tudo quanto é desajuste que vem de cima.

2 comentários:

Renato Rodrigues da Silva disse...

É incrível quando o peso da vida se esparrama sobre nossas cabeças e mesmo completamente sufocados tentamos tirar algum proveito dessa horrível e pertinente sensação.
o ralo do mundo pode ser um guarda volumes que guarda tudo aquilo de valor que caia enquanto permanecemos de olhos fechados. efeito do Seda seramidas ou, um desejo solitário qualquer...

Jvnivs Cæsar disse...

Se o fim não existe, se o q nos parece fim é apenas o começo de outra coisa em outra situação... então o q nos parece o ralo é início de uma nova maneira de um dia podermos repensar até aquilo q sequer poderíamos compreender.
O ralo q leva o q lava as minhas mazelas, é o mesmo chuveiro q num outro momento me fará lavar-me de minha podridão interna.